Mailing list
Brevemente nos cinemas

Albatros Albatros

Um filme de Xavier Beauvois com Jérémie Renier, Marie-Julie Maille, Victor Belmondo, Iris Bry

Laurent, comandante de brigada numa pequena vila na Normandia, pede em casamento a sua companheira Marie, com quem tem uma filha ainda pequena, Poulette. Embora tenha gosto no trabalho, vê-se diariamente confrontado com a miséria social. Inesperadamente, a sua vida vai virar-se do avesso quando, ao tentar salvar um agricultor que ameaça suicidar-se, acaba por matá-lo acidentalmente. 

2021 | França, Alemanha, Bélgica | 115 min | Drama | Longa-metragem

Festivais e prémios

Festival de Berlim – Selecção Oficial, em Competição

Actores e ficha técnica

Jérémie Renier

Marie-Julie Maille
Victor Belmondo
Iris Bry


Realizador: Xavier Beauvois
Argumento: Xavier Beauvois, Frédérique Moreau, Marie-Julie Maille
Som:  Jean-Pierre Duret, Loïc Prian, Eric Bonnard 
Director de Fotografia: Julien Hirsch
Montagem: Marie-Julie Maille, Julie Duclaux
Produção: Les Films du Worso, Pathé, Orange Studio France 3 Cinéma, Scope Pictures

Distribuição: Leopardo Filmes

Biografia do realizador

Uma das vozes mais importantes e singulares do cinema francês da actualidade, o realizador, argumentista e actor Xavier Beauvois nasceu em Auchel, França, em 1967, e apaixonou-se pelo cinema após ter assistido a uma conferência do crítico e historiador de cinema Jean Douchet. 


Começa o seu percurso como assistente de realização de Manoel de Oliveira, em O Meu Caso, e André Téchiné, em A Culpa dos Inocentes, e dá o salto para realização com a longa-metragem Nord, onde evoca, numa pequena localidade de Pas-de-Calais, a desintegração de uma família incapaz de comunicar. Depois de uma estada na Villa Medici, em Roma, realiza em 1995 N’Oublie pas que tu vas mourir, crónica desencantada e romântica de um estudante que descobre ser seropositivo, e que lhe vale o Prémio do Júri no Festival de Cannes. O ano de 2010 trouxe-lhe a consagração e uma viragem decisiva na sua carreira: Xavier Beauvois apresentava no Festival de Cannes Dos Homens e dos Deuses, no qual Lambert Wilson e Michael Lonsdale interpretam dois eminentes membros dos monges de Tibhirine, que viriam a ser encontrados mortos na Argélia em 1996. Sucesso monumental, tanto crítico como comercial, o filme obteve o Grande Prémio do Júri do festival e, mais tarde, o César para Melhor Filme francês do ano. Depois deste triunfo, o realizador adapta um fait-divers ocorrido nos anos 70: dois homens decidem roubar o caixão de Charlie Chaplin, com o propósito de fazer um pedido de resgate à sua família. O Preço da Fama (2013) conta com Benoit Poelvoorde e Roschdy Zem nos papéis dos bandidos, e estreou na Competição Oficial do Festival de Veneza. Quatro anos depois, em 2017, As Guardiãs, um “drama de guerra feminista” que aborda o impacto da primeira guerra mundial sobre as famílias dos soldados, teve estreia mundial no Festival de Toronto, fez um percurso pelos festivais de Londres, Tóquio, Mar del Plata e integrou a secção competitiva do Lisbon & Sintra Film Festival.


Além de realizador, Xavier Beauvois possui também um vasto currículo enquanto actor. Teve papéis de relevo em Ponette (1996), de Jacques Doillon, Le Vent de la nuit (1999) de Philippe Garrel, que também co-escreveu, Villa Amalia (2009), onde contracenou com Isabelle Huppert, e Adeus, Minha Rainha (2012), ambos de Benoît Jacquot, e foi co-protagonista, juntamente com Juliette Binoche, de O Meu Belo Sol Interior (2017), de Claire Denis.


Em 2021 estreia Albatros, Selecção Oficial em Competição no Festival de Berlim. Com Jérémie Renier no papel de um polícia dedicado que vê o seu mundo desabar após um acidente com uma arma, o filme recebeu vários elogios da crítica internacional.

Subscreva a nossa newsletterr

Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.