Mailing list
Catálogo

O Fantasma da Liberdade Le fantôme de la liberté

Um filme de Luis Buñuel com Pierre-François Pistorio, Hélèna Perdrière, Adriana Asti, Jean Rochefort

Em Toledo ocupada pelas forças napoleónicas, um soldado abraça uma estátua feminina numa igreja. Depois, exige que se abra o caixão. A história é contada por um criado num jardim público, que prefere ler em vez de tomar conta das filhas dos patrões, os Foucault. À noite, o senhor Foucault sofre de insónias, o que o leva a consultar o médico no dia seguinte. A partir daí, a história bifurca-se sucessivamente, num encadeado de sequências surreais e personagens autónomas, que criticam a moralidade e a sociedade. Penúltimo filme de Buñuel, O FANTASMA DA LIBERDADE faz - tão admirável quanto subtilmente - uma síntese de toda a carreira deste cineasta único e ímpar.


Folha de Sala

Lisboa - Medeia Cinema Nimas

16:00

Porto - Medeia Teatro Campo Alegre

18h30
1974 | França | M/12 | 1h 45min | Comédia | Longa-metragem

Actores e ficha técnica

Pierre-François Pistorio
Hélèna Perdrière
Adriana Asti
Jean Rochefort
Adolfo Celi
Paul Frankeur
Michel Lonsdale
Pierre Maguelon
François Maistre
Claude Pieplu


Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel e Jean-Claude Carrière, baseado numa ideia original de Luis Buñuel
Direcção de Fotografia: Edmond Richard
Décors: Pierre Gufroy
Guarda Roupa: Jacqueline Guyot
Arranjo Sonoro: Luis Buñuel (Rapsódia Para Piano de Brahms)
Som: Guy Villette

Biografia do realizador

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”.

Lisboa - Medeia Cinema Nimas

16:00

Porto - Medeia Teatro Campo Alegre

18h30

Subscreva a nossa newsletterr

Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.